Casa da Floresta

VIDA: APRENDIZADO NA PRÁTICA.

Thursday, December 23, 2004

Família a gente não escolhe, a gente aguenta.

Tem uma teoria por aí que diz que a gente escolhe os pais que tem quando ainda somos espírito para que com eles possamos viver as experiências que precisamos para crescer, evoluir, blá blá blá....

Eu não acredito realmente que tenha escolhido vir nessa família, mas fazer oq? Não dá pra se emancipar fácil assim mesmo...

Menos de 48 horas para a ceia de Natal e a situação se encontra a seguinte:

- Na cidade só chove. Há dias. Só pra piorar o já caótico transito de final de ano-feirado-natal-ano novo que por si só é desesperador.

- Minha tia está em casa, em Macaé fazendo rabanadas no melhor espírito "se estamos juntos é oq importa".

- Minha mãe está no hospital com meu irmão em overdose alcólica pq não sabe beber e deve tá afogando as mágoas de estar sozinho, sem oq fazer e em más companhias com 3 meses de férias pra aturar em casa e nas festas todos os dias.

- Minha mãe again, não dorme há duas semanas (pelo menos) desde que meus irmãos entraram de férias pq cada um chega uma hora diferente na madrugada e ela tem ouvido de tuberculoso. Além de estar paparicando um ser agregado familiar (ênfase no "agregado") que ocupou a casa, o tempo, a vida e qualquer tempo livre e não livre que ela poderia ter.

- Meu irmãozinho querido não pára em casa, não dá satisfação, não marca hora e não aparece. Tem um egrégora tão grande de não ser encontrado que quando ganhou finalmente seu primeiro celular, este pifou antes de ser inagurado. E, como mencionado anteriormente, chega de madrugada, só pra acordar a minha mãe.

-Meu padrasto, ser de problemas mentais horrendos demais para serem descritos por aqui, ainda anda mandando e desmandando nos caprichos do que ele quer e não quer que a minha mãe faça ou desfaça. Ponto (negativo) na mammys.

- Papi e madrasta estão beeeeem longe, na terra do nunca, onde a modernidade não chega e achando que eu tô já em Macaé.

- E finalmente eu. Eu, sozinha em casa, com mais horas de internet que eu poderia passar. De pijama às 2 e 40 da tarde, decidindo se vai ser mais estressante passar o natal na mamys com os seres bizonhos acima mencionados, na titia, depois de várias horas de engarrafamento, chuva e pouco sono, ou por aqui mesmo, sozinha e sem comida.

A psicóloga vai amar quando eu lembrar que ela existe em janeiro!

Alguma sugestão?

1 Comments:

  • At 8:42 PM, Anonymous Anonymous said…

    intiresno muito, obrigado

     

Post a Comment

<< Home